“Quem move este país são as mulheres”, disse Kalil sobre protesto contra Bolsonaro

Kalil caminhou por mais de uma hora no Aglomerado Santa Lúcia, cumprimentou eleitores e tirou selfies. Na ocasião, também comentou sobre pesquisa que aponta Ciro com 9,4%: “Eu não torço pelo ganhador, eu torço pelo que trabalha melhor”

O prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PHS), demonstrou apoio ao protesto protagonizado por mulheres contra Jair Bolsonaro (PSL), que ocorreram na tarde desse sábado (29), na capital mineira. “Ela (a manifestação) foi mortal porque as mulheres são maioria, são as que movem este país. Se você olhar um ponto de ônibus no Centro de Belo Horizonte, você vai ter certeza de que quem manda neste país são as mulheres”, comentou. A declaração foi feita durante uma caminhada ao lado do candidato ao senado Carlos Viana (PHS), na manhã deste sábado, no Aglomerado Santa Lúcia, Região Centro-Sul da cidade.

Ontem, o movimento Mulheres contra Bolsonaro que, por meio da hashtag #EleNão reuniu apoiadores nas redes sociais do Brasil e do mundo, protestou nas ruas de várias cidades. Em Belo Horizonte, manifestantes se concentraram a partir das 13h na Praça Sete, Centro da capital mineira. O ato contou com o apoio de blocos de carnaval locais, além de grupos feministas, do movimento negro e da causa LGBT+. A cantora Aline Calixto foi uma das puxadoras de samba no percurso até a Praça da Estação, que terminou com milhares de pessoas dançando ao som de batuques.

Durante a caminhada desta manhã, Kalil também falou sobre os números da pesquisa do Instituto MDA encomendada pela Confederação Nacional do transporte (CNT), divulgada na manhã deste domingo. Segundo o dado, Jair Bolsonaro está com 28,2% e Fernando Haddad (PT) com 25,2%. – considerado empate técnico já que a margem de erro é 2,2 percentuais para mais e para menos. Ciro Gomes (PDT), candidato apoiado pelo prefeito, ficou com 9,4%. Ao ser questionado se ele acreditava em uma reviravolta, ele pontuou: “Eu não torço pelo ganhador, eu torço pelo que trabalha melhor. Ele ganhar é questão do povo.”

Kalil  caminhou por mais de uma hora pelo Aglomerado Santa Lúcia, cumprimentando os moradores, tirando muitas selfies. Teve até quem pedisse autografo em camisa do galo. A aposta Kalil para o senado é o Carlos Viana (PHS). Ao ser questionado sobre sua escolha, ele foi enfático: “Ele ainda não teve a experiência de ajudar. Todos que estão lá já tiveram e não ajudaram”, avaliou.

SEGUNDA VISITA Ontem, os políticos também foram ao Aglomerado, mas, fizeram um percurso menor. Durante o ato de campanha, o prefeito fez um comentário, no mínimo curioso, sobre a suspeita de Jair Bolsonaro (PSL) de que poderia haver fraude nas eleições caso ele não seja o vencedor: “Toda vez que vou ao Mineirão e o Atlético vai jogar contra o Cruzeiro eu falo a mesma coisa. Se o Atlético não ganhar é porque foi roubado”, declarou. I

sso porque Bolsonaro chegou a afirmar que a possibilidade de perder a eleição “na fraude” para o candidato do PT, Fernando Haddad, é “concreta”. “O PT descobriu o caminho para o poder, o voto eletrônico”, declarou o presidenciável. (Com Ana Clara Brant)

Fonte ;Estado de Minas

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: