Infestação do besouro que causa queimaduras à pele tem provocado incômodo em Sete Lagoas

Espécie chamada besouro bombardeiro miúdo é popularmente conhecida como potó; IEF garante que para prevenir maior proliferação é necessário não combater predadores.

A incidência dos bichos nos comércios, praças, escolas e ruas tem incomodado os sete-lagoanos que utilizam as redes sociais para reclamar da visita inesperada.

Segundo especialistas, os potós são larvas subterrâneas que são atraídas para a superfície quando o clima está quente e úmido, registrado em Sete Lagoas nos últimos dias. “Eles encontram condições ideais para se reproduzirem, e isso acaba estimulando este surto populacional, que ocupa espaços inclusive nos ambientes urbanos”, explica.

Cuidados a serem tomados

Uma das consequências que mais preocupa a população em relação à alta incidência de besouros é a queimadura provocada por ele quando há contato com a pele humana. Os moradores contam que não é a primeira vez que o inseto invade a cidade, mas há muitos anos não incomodava tanto.

Apesar de incomodarem, as larvas são praticamente inofensivas e não causam problemas de saúde. Apenas o líquido que liberam quando apertados contra uma superfície é que pode provocar as queimaduras leves.

A previsão é de que a infestação seja amenizada nos próximos sete dias, quando os besouros devem retornar ao habitat natural deles.

 

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: